Visitar Budapeste – Harmonia entre o belo e o clássico (Parte 1)

A cidade de Budapeste é certamente um dos destinos mais visitados da Europa Central. Uma das principais razões da atractividade turística desta cidade prende-se com a sua importância histórica durante o império Austro-Húngaro e a marca arquitectónica e patrimonial que esse passado glorioso imprimiu nesta cidade.

Importante também não esquecer o passado mais recente desta cidade, sob o regime comunista, fazendo parte da famosa cortina de ferro. Também este facto desencadeou mudanças na cidade que ainda hoje são visíveis, e em muitos casos, foco de atracão turística. É todo este passado tão variado e, contrastante até, que faz desta capital com mais de 3 milhões de pessoas, um destino apetecível, que não quisemos deixar de visitar.

Estivemos nesta cidade 4 dias, durante o final do Verão e fomos brindados com um tempo agradável que convidava a explorar todos os cantinhos desta cidade magnífica. Ainda assim estamos certos de que Budapeste com neve oferece também um cenário espectacular, portanto, se quiserem visitar a cidade, escolham durante as estações de Primavera e Verão.

Onde ficar em Budapeste

Mais uma vez, e como costuma ser hábito nas nossas viagens, procurámos um local com o balanço Preço/Qualidade/Localização que fosse mais vantajoso. Tivemos a sorte de encontrar uma oferta que superou todas as nossas expectativas, o Three Corners Lifestyle Hotel Budapest.

Este hotel tinha sido praticamente inaugurado quando chegámos, e destacamos sobretudo o equilíbrio e o conforto entre moderno e clássico. O quarto era extremamente espaçoso e bem decorado e os espaços comuns convidavam a passar ali um bom bocado, especialmente a sala de estar. Recomendamos totalmente este hotel e podemos dizer que conseguimos um preço a rondar os 130€.

Visitámos imensos locais, e para facilitar, quisemos dividir o nosso roteiro seguindo a principal divisão desta cidade, ou seja, aquela que é feita pelo rio Danúbio. Assim, iremos falar nesta primeira parte sobre a zona de Buda e na segunda parte sobre Pest.

Budapeste – Zona de Buda

Szabadság híd (Ponte da Liberdade)

Começámos o percurso ao atravessar esta que é uma das 3 pontes mais emblemáticas da cidade, ficando na zona central. Construída no final do século XIX, é uma ponte metálica e símbolo patrimonial do império austro-húngaro, seguindo a tendência que se vivia na construção metálica na época. Esta ponte é também conhecida por ponte das correntes.

Daqui temos uma vista para o rio e sobretudo para a margem de Buda, merecedora de muitas fotos e de um momento de contemplação.

Budavari sikló (Funicular do Castelo)

Já na margem de Buda, a subida ao castelo no monte Gellert, pode ser feita a pé ou pelo funicular. Optámos pela segunda opção, não pelo facto do percurso a pé ser muito extenso ou desadequado, mas sim pela experiência de viajar neste pequeno elevador. Com mais de 100 anos de existência, o funicular castanho e de estilo antigo, leva-nos ao castelo subindo directamente uma das encostas do monte Gellert.

A vista durante a subida vale muito a pena, sempre com a ponte e o rio Danúbio como cenário de fundo e a cidadela imponente lá em cima. Uma viagem simples tem o preço de 1200 florins Húngaros, ou seja, aproximadamente 3,70€. Encontra-se a funcionar todos os dias entre as 7:30 e as 22:00. No entanto, aconselhamos totalmente a reserva online (Que podem fazer aqui) de modo a evitar as filas enormes que encontrámos no dia em que visitámos e que podem chegar Às 2h de espera!

Budapeste - Funicular do castelo de Buda
Funicular do castelo de Buda

Budavári Palota (Castelo de Buda)

Esta é sem dúvida a principal atração turística em Buda. Ficámos verdadeiramente deliciados com toda a beleza patrimonial que encontrámos neste castelo. Construído no século XVIII, este complexo que inclui também o museu de história natural e a galeria nacional de arte, é desde 1987 património da humanidade.

O castelo propriamente dito, inclui o edifício da corte, também frequentemente designado de Palácio Real. O estilo predominante é barroco, e visitámos algumas salas deste monumento (muitas não estão abertas a visitas), das quais destacamos a sala das coroações e a capela real. Toda a visita está rodeada de obras clássicas e muitas peças de arte que merecem um olhar mais atento.

A visita está incluída no bilhete do tour ao castelo que comprámos, por 10€ por pessoa, e que pode também ser reservado online aqui.

Budapeste - Castelo de Buda
Vista para o castelo de Buda a partir de Peste

Magyar Nemzeti Galéria (Galeria Nacional Húngara)

No mesmo complexo que constitui o castelo de Buda, encontra-se a galeria nacional Húngara. É aqui que se encontram as principais obras de pintores e escultores Húngaros, a maioria do período imperial, mas também muitas obras referentes aos séculos XIV e XV. O período mais recente da história artística Húngara também não foi esquecido e ficámos satisfeitos por encontrar também algumas obras mais recentes.

Infelizmente só tivemos tempo para visitar a exposição permanente, no entanto, após consultar o histórico de exposições temporárias, verificámos que frequentemente estas focam temas muito interessantes e únicos, que certamente merecem uma visita. O bilhete para a galeria também estava incluído no tour pelo castelo de Buda.

Budapeste - Galeria Nacional Húngara
Cúpula da galeria nacional

Mátyás-templom (Igreja de São Matias)

Após descermos pelo parque Gellert (se tiverem tempo parem um pouco neste parque, que oferece uma vista única para a cidade e uma envolvência fantástica), chegámos então à igreja de São Matias. Com um estilo gótico, esta igreja foi construída no século XIV e recuperada no século XIX. O que nos impressionou mais foram de facto os trabalhados na torre do sino principal! É uma obra de um detalhe arquitectónico e artístico fantástico!!

Sendo uma igreja cristã católica, a visita ao interior é também merecedora de visita, pela existência de mais trabalhados e obras de arte que povoam as paredes e pelo tecto e pilares trabalhados que são absolutamente incríveis! Mais uma vez, também esta atracção turística está incluída no bilhete do tour e como já devem ter concluído, é realmente uma óptima compra!

Halaszbastya (Bastião do pescador)

Praticamente colado à igreja de São Matias, encontra-se o famoso Bastião do pescador. Este complexo centrado num grande terraço em estilo neo-gótico, oferece aquela que é possivelmente a melhor vista para a cidade de Budapeste. Por entre as sete famosas torres que representam as 7 tribos magiares que formaram a Hungria é possível ter uma visão a 180º toda a margem de Pest, com destaque para o Parlamento Húngaro, que se destaca na outra margem.

No centro deste monumento está uma estátua em destaque, com um homem montado a cavalo. Trata-se de Stephen I, o último Rei Húngaro antes da formação do império.

Não deixem de visitar este local!! Foi um dos nosso pontos de passagem favoritos e não há como não disfrutar do por do sol neste local tão mágico.

Gellért gyógyfürdő (Termas de Gellert)

Para terminar o percurso do lado de Buda, nada melhor que um banho renovador nas águas termais das termas de Gellert (Aberto entre as 6:00 e as 20:00 todos os dias da semana). Budapeste é famoso pelos banhos termais que oferece e existem várias termas famosas. Após alguma pesquisa, concluímos que a melhor opção seria viver esta experiência em Buda, e foi uma escolha muito acertada!

O edifício principal está dividido em duas partes, uma piscina termal interior e uma exterior. Face à temperatura agradável, optámos por ficar na piscina ao ar livre, mas visitámos também a parte coberta. Valeu totalmente a pena e podemos dizer, sem mentir, que nos sentimos totalmente cheios de energia outra vez depois de um dia tão cansativo!

A entrada nas termas de Gellert custa 19€ e só pode ser paga presencialmente, o que não tem problema porque geralmente a fila de espera não é longa.

Gellérthegyi-barlang (Igreja na Pedra)

Esta é mais uma daquelas surpresas de Budapeste que nem estava no nosso roteiro inicial, mas que valeu o pequeno desvio!!! De que falamos? De uma igreja dentro de uma gruta. Sim, dentro de uma gruta! Antes casa de monges durante vários séculos, a igreja de Gellert contínua a ser parte activa de ordens religiosas e vale totalmente uma visita.

Citadela/Monte Gellert

No topo de Monte Gellert (com 25m de altura) fica a Citadella, um forte construído durante os tempos do império Austro-Húngaro e que tem um papel fundamental na história húngara, como por exemplo, quando foi um dos pontos chave ocupados pelos soviéticos e que permitiu controlar a revolta Húngara de 1956.

Com mais uma vista fantástica, destacamos sobretudo as estátuas sempre com uma mensagem forte e cheias de simbolismo. A visita a este local é totalmente gratuita!

Margitsziged (Ilha Margaret / Cruzeiro pelo Danúbio)

Terminámos o nosso dia em Budapeste com um cruzeiro ao por do sol pelo rio Danúbio, com passagem pela ilha Margaret. Foi um momento que não vamos esquecer tão depressa, especialmente pelo ambiente criado pelo anoitecer nesta cidade tão bela. A ilha Margaret fica no meio do rio Danúbio e apresenta essencialmente parques, pelo que é excelente para um momento mais recatado ou um picnic.

É realmente uma lista bem preenchida de actividades que a margem de Buda nos oferece e, se seguirem o nosso roteiro, estou certo que não ficarão desapontados. Na segunda parte desta visita, vamos falar sobre Pest e sobre os principais restaurantes para provar a gastronomia Húngara no seu melhor!

 

Se gostaram do nosso artigo

Deixe uma resposta