Das vinhas à mesa, gastronomia e enoturismo no Alentejo

por 2serependiters
0 Comentário

O Alentejo é certamente uma das nossas regiões favoritas no que toca à oferta gastronómica. De facto, numa região em que frequentemente vemos o porco preto à solta pelo montado e onde o verde que contrasta com o feno seco é constituído vinhas extensas, o que não faltam são opções que nos surpreendem e que nos deixam um gostinho especial.

Assim, neste terceiro e último post relativo ao nosso fim de semana no Alentejo vamos explorar estas duas vertentes da região: A sua gastronomia e o vinho alentejano, tão famoso cá e além fronteiras e que tem propulsionado o enoturismo alentejano para as bocas do Mundo.

Restaurante Sabores de Monsaraz

Como referenciado no post sobre o nosso roteiro por terras Alentejanas, escolhemos ter a nossa experiência gastronómica num local privilegiado entre as muralhas históricas da aldeia de Monsaraz e o azul forte da albufeira do Alqueva, o restaurante Sabores de Monsaraz. Situado numa casa típica alentejana perto do centro da aldeia escolhemos este restaurante pela fama que tem, com múltiplas referências no guia “Boa cama, boa mesa” do jornal expresso e uma referência no guia Michelin, juntando a isto claro o excelente rol de opiniões positivas que recebemos dos nossos amigos.

Ao entrarmos somos logo contagiados pela boa disposição e energia vibrante da Dona Isabel, dona e cozinheira principal da casa. Somos encaminhados para uma mesa com vista privilegiada para a albufeira do Alqueva e rapidamente nos é servida uma bolsa tradicional de tecido com padrão onde encontramos o pão alentejano.

As entradas são deliciosas e entre o chouriço de porco preto, o queijo curado e o requeijão com mel torna-se muito difícil escolher a nossa favorita. Uma constante desde o início da refeição é a conjugação perfeita entre os sabores fortes do Alentejo e o vinho, tão atenciosamente sugerido pela nossa anfitriã. Para o prato principal a escolha só podiam ser dois pratos bastante típicos do Alentejo: Os lombos de porco preto grelhados e as migas de bacalhau.

Sobre as iguarias por nós escolhidas podemos dizer que estavam verdadeiramente fantásticas e que a gastronomia alentejana tem uma característica que tantas vezes procuramos: O sabor que nos leva até à origem dos ingredientes, numa viagem pelas tradições centenárias que passaram de geração em geração e culmina com a certeza de querermos experimentar estes pratos mais vezes.

Para fechar com chave de ouro esta experiência que já estava a ser espectacular, a escolha foi rápida e recebida com um sorriso por parte da Dona Isabel. A sobremesa escolhida foi a famosa sericaia, uma receita conventual iniciada no Alentejo pelas freiras do convento de Elvas e Vila Viçosa. O sabor é ímpar e inesquecível, no entanto, não se deve comer em grande quantidade por se tornar relativamente pesado.

No final estivemos um pouco à conversa com a Dona Isabel, uma mulher cheia de garra e dinamismo e com uma simpatia com a qual não nos deparamos todos os dias. É possível que seja essa a razão que leva a que quase todos os clientes que ali passam acabem por voltar, como acontece com muitos espanhóis que se tornaram clientes habituais.

Alentejo - Sabores Monsaraz

Nós e a Dona Isabel

Este é sem dúvida um daqueles restaurantes que resumem num só local uma região inteira e isto só é possível com uma qualidade e autenticidade como aquela que a Dona Isabel tão diligentemente mantém nesta casa.

Ervideira Wine Lounge

Que os vinhos Alentejanos são dos melhores no nosso país, muitos de nós já sabíamos e mesmo nas gamas de valor mais baixo o vinho alentejano raramente nos deixa mal, mas recentemente este facto cruzou fronteiras e até oceanos, tendo o Alentejo sido destacado no New York Times em 2015, especialmente pelas suas experiências de enoturismo.

Quisemos também experimentar um pouco desta que é uma das actividades mais dinâmicas do Alentejo e para isso, visitámos a famosa adega da Ervideira. A história desta que é uma das mais famosa adegas do Alentejo remonta ao século XIX, com o conde da Ervideira, título atribuído pelo rei D. Carlos I. A produção de vinho iniciou-se em 1880 no Monte da Ribeira e tem-se mantido um negócio de família desde o primeiro momento até aos dias de hoje.

No entanto, nem só de história se faz o sucesso, e a prova disso é o Wine Lounge Ervideira onde fomos tão bem recebidos. Esta sala ampla e envidraçada possui um design que leva qualquer apreciador de vinhos a despender um bom pedaço de tempo explorando as prateleiras de estilo moderno preenchidas de garrafas. Foi assim que se iniciou a nossa experiência, tendo-se seguido depois uma passagem pelas zonas de fermentação e de maturação do vinho.

Tivemos a sorte de ter uma visita guiada apenas para nós e isso, aliado ao facto da guia ser extremamente simpática e conhecedora do universo vinícola (E não só da Ervideira) tornou esta actividade um verdadeiro roteiro didático e cultural e também uma experiência de partilha de conhecimento e de impressões.

No final do percurso da visita, esperava-nos uma mesa recheada de produtos tradicionais alentejanos, do queijo ao chouriço, do azeite ao pão. A prova de vinhos foi fantástica, e a qualidade dos vinhos apresentados é ímpar, não só pela textura e sabor, mas pela ligação sempre perfeita com os outros produtos típicos da região.

Se há momentos que marcam uma viagem, este foi um deles, porque sentimos todo o Alentejo ali, na simpatia de quem nos recebeu, na qualidade dos produtos regionais e no vinho espectacular, que une tudo isto num arranjo único.

Agradecimentos

Queremos dar um especial agradecimento à adega da Ervideira pela oferta feita e acima de tudo, pela forma como nos receberam. Estamos certos de que a vossa autenticidade e sorriso sempre presente fazem desta experiência algo inesquecível e, acima de tudo, extremamente enriquecedor.

Sugerimos

Deixe um comentário