Visitar Cracóvia, história e contos de fadas lado a lado (Parte 1)

por 2serependiters
0 Comentário

A Europa é um continente com uma riqueza patrimonial e histórica ímpar e felizmente, a maioria das cidades ricas em monumentos mantêm uma esforço contínuo de preservação e divulgação do seu património, assegurando que através de obras materiais e imateriais continuamos a ter uma janela para o passado glorioso e rico dos países e podemos absorver a informação e aprender muito sobre a história do local.Cracóvia é uma dessas cidades!

Aqui cada rua, cada praça e cada casa retém muito do seu passado e onde histórias de fantasia se cruzam facilmente com a história, por vezes trágica, outra vezes alegre e cheia de boas memórias, mas em ambos os casos, muito interessante. De facto, esta é uma cidade que parece feita de propósito para ser apreciada e descoberta, tendo sido considerada uma das cidades europeias mais bonitas de sempre (Ver aqui).

Esta cidade com 770 mil habitantes é a segunda maior da Polónia, ficando no sul do país, relativamente perto da República Checa e da Eslováquia. Foi a capital da Polónia até 1596, sendo sempre ao longo da sua história um importante centro de comércio e de desenvolvimento, o que também fez da cidade um local de riqueza e exuberância. Hoje em dia é um dos principais centros económicos e de investigação do país, mas é o turismo que continua a assegurar que o nome desta cidade corre os 7 ventos, sobretudo com referências à cidade velha, património da UNESCO.

Como Chegar?

A maioria dos visitantes desta cidade utiliza uma de duas opções: Comboio desde Varsóvia ou Aeroporto João Paulo II (Cracóvia-Balice). No nosso caso, como estávamos em Varsóvia antes (Podem ler mais aqui), optámos por usar o comboio de alta velocidade e desfrutar também das magníficas paisagens que a Polónia oferece. O bilhete custa 60€ ida e volta no Intercity Express Premium, o comboio de alta velocidade, e pode ser comprado online aqui. A partida é feita na Estação central de Varsóvia e aproximadamente 3h depois estamos em Cracóvia.

Roteiro Por Cracóvia

Cidade Velha (Stare Miasto)

Escrever sobre a cidade velha de Cracóvia não é fácil porque há uma imensidão de locais e recantos a mostrar e descrever mas vamos tentar falar um pouco sobre todos os locais que gostámos mais. O tempo inicialmente também não ajudou, mas isso não nos impediu de ir à descoberta! O nosso percurso pela cidade velha iniciou-se pelo sentido nordeste, logo com o fantástico Barbakan de Cracóvia. Construído no século XIV, esta fortaleza antes conectada às muralhas da cidade tinha como função proteger a cidade das invasões e controlar a entrada na cidade. Todo o monumento se encontra bem conservado e merece totalmente uma visita.

Após passarmos uma das portas principais da cidade, com um altar cheio de velas e imagens religiosas (Toda a cidade velha se mantém muito marcada pela religião), entramos então numa das ruas mais movimentadas da cidade velha, a rua Florianska. Aqui ficámos absolutamente extasiados com o estilo arquitectónico de todos os edifícios. É impossível não andar sempre de olhos postos nas fachadas requintadas e cores vivas das casas, impecavelmente conservadas.

Saímos da azáfama da rua Florianska e continuamos por ruas extremamente bem cuidadas junto à muralha da cidade. Embrenha-mo-nos por ruas mais pequenas, quase todas elas com alguma capela ou museu. Por fim, aquela cúpula verdadeiramente incrível que já vínhamos a ver há algum tempo vai ficando cada vez mais perto de nós até que por fim chegamos ao ponto alto desta zona da cidade, a Praça Glowny.

Não temos qualquer dúvida de que este é um dos locais mais bonitos da Europa. Perante os nossos olhos está agora uma praça enorme, rodeada de edifícios fantásticos e com um edifício repleto de magníficos trabalhados no centro. Falamos do Cloth Hall de Cracóvia (Sukienicce). Era neste edifício que os mercadores vindos de vários pontos da Europa e do Mundo negociavam os seus produtos. Ao longo da sua história passaram por aqui também príncipes e Reis de vários países. No seu interior encontramos hoje várias bancas de produtos tradicionais e ainda é possível observar nas paredes os brasões gravados de todas as cidades polacas.

Num dos extremos da praça encontra-se a icónica basílica de Santa Maria (Bazylika Mariacka), um edifício imponente e verdadeiramente belo que é visível praticamente de toda a cidade. Toda a fachada da basílica é trabalhada e está repleta de elementos artísticos, imagens e estátuas, tornando esta igreja uma das mais ricas que já vimos. A visita ao seu interior é gratuita, no entanto está limitada aos períodos sem cerimónia religiosas. Não deixem de entrar porque o interior é incrível e muito rico!

Outro ícone nesta praça é a antiga torre da Câmara Municipal (Wieża Ratuszowa), representando o único edificado que resta deste edifício importante. Não é possível visitar o seu interior mas a sua vista exterior vai certamente garantir muitas fotos! Passámos muito tempo nesta praça e voltámos aqui várias vezes durante a nossa estadia em Cracóvia. Este é o centro nevrálgico da cidade, antiga e moderna, e aqui há sempre vida e actividades, seja de noite ou de dia. Aconselhamos também, caso tenham tempo, a visita ao museu da cidade de Cracóvia (Rynek Glowny) que fica por baixo da praça (Mesmo!!!).

Continuando pela rua Grodzka, o percurso está cheio de locais interessantes que merecem uma visita. Destacamos sobretudo a praça de Santa Maria Madalena e as igrejas do Apóstolo Pedro (Kościół św. Apostołów Piotra i Pawła) e de Santo André (Kościół św. Andrzeja). Aconselhamos que as visitem uma vez que a entrada é gratuita em ambas. É também neste local que frequentemente se encontra outra das raízes culturais desta cidade, a música. Aqui vale a pena parar para ouvir os violinistas que tocam e encantam ainda mais este local já de si fantástico.

Cracóvia - Cidade Velha

Igreja do Apóstolo Pedro

Por fim, ao chegarmos ao extremo oposto por onde entrámos na cidade velha, decidimos explorar os limites exteriores desta ao longo dos vários Kms e ruas que ladeiam as antigas muralhas da cidade. Assim, sempre seguindo pela massa verde impecavelmente cuidada e muito agradável, chegámos finalmente à antiga universidade de Cracóvia, uma das mais antigas da Europa, fundada em 1364! O complexo de edifícios que constituíam a universidade é verdadeiramente magnífico e ao explorarmos a zona, descobrimos sempre referências escondidas sobre a história da sua criação e também estátuas em homenagem a alguns dos mais famosos alunos que passaram por ali durante séculos.

Cracóvia - Cidade Velha

Universidade de Cracóvia

No lado oposto da cidade velha destacamos o teatro antigo da cidade (Teatr im. Juliusza Słowackiego) num estilo muito luxuoso e cheio de classe, que nos transporta à arquitectura neoclássica do início do século XX e finais do século XIX e também o convento das irmãs Dominicanas, que se mantém praticamente inalterado desde da sua construção em meados do século XIII.

Investimos muitas horas a explorar a cidade velha de Cracóvia e mesmo assim sentimos que ficou muito por conhecer. Esta área que não é assim tão grande possui uma riqueza cultural e patrimonial ímpar na Europa e o que sentimos é que cada rua, por mais pequena que fosse, nos guardava algo para descobrir e conhecer. Percebem assim a dificuldade em resumir tudo o que visitámos num texto que não se tornasse demasiado extenso.

No próximo post vamos até ao complexo do castelo de Cracóvia e ficamos a saber mais sobre a história judia nesta cidade, que muito sofreu com a invasão Nazi.

Sugerimos

Deixe um comentário