Minas do Sal de wieliczka – Uma viagem ao surpreendente

por 2serependiters
1 Comentário

Como temos vindo a reafirmar nos outros posts sobre a nossa viagem à Polónia (Que podem ver aqui e aqui), este é um país fortemente marcado pela sua história e que procura também mostrar essa marca a todos os que visitam as cidades polacas. Na nossa viagem encontrámos castelos e palácios grandiosos, jardins únicos e museus que nos recordam sobre o sofrimento deste povo, mas nunca pensámos que existisse um lugar como as minas do sal de Wieliczka.

Esta mina criada no século XIII é hoje património da UNESCO e um local ímpar no mundo. Com mais de 300 metros de profundidade e quase 300 km de túneis (Mesmo!!!), esta mina começou de forma modesta quando ali foi descoberta pedra sal. Rapidamente ali se fixaram os primeiros mineiros e a mina foi crescendo ao longo do tempo. Esta mina é também conhecida como mina real polaca, em grande parte pelo apoio dado pelo Rei a todos os mineiros que ali trabalhavam e que viam o seu esforço recompensado com apoio médico gratuito e apoio para a reforma, ambos oferecidos pela corte. Foi também da venda e exportação do sal aqui extraído que se obteve grande parte do ouro necessário para a construção do Castelo de Wavel, em Cracóvia.

A mina funcionou até 1996 e parou a sua laboração devido à descida do preço do sal. Se estiverem em Cracóvia não podem mesmo deixar de visitar este local!

Como chegar

Wieliczka é uma pequena cidade na área metropolitana da Cracóvia, ficando apenas a 13 km de distância desta cidade. Os dois principais meios de transporte utilizados por turistas para lá chegar são o autocarro e o comboio. Para ir de comboio, basta irem até à estação central de Cracóvia (Kraków Główny) e apanhar o comboio azul e laranja da companhia Koleje Małopolskie. Estes comboios partem de meia em meia hora e a viagem demora aproximadamente 20 minutos. Depois de chegar à estação Wieliczka Rynek-Kopalnia, são aproximadamente 500 m até às minas. O bilhete custa 3,5 zł, ou seja, menos de 1€.

A opção que escolhemos foi o autocarro, que pode ser apanhado junto à estação, na rua Ogrodowa. A carreira 304 demora 25 minutos até às minas do sal e custa apenas 4zł, deixando-nos mesmo na entrada do complexo das minas.

A visita às minas de Wieliczka

O dia estava chuvoso e escuro quando chegámos a Wieliczka. Assim que passamos o portão de entrada conseguimos vislumbrar as filas extensas de turistas agrupados em grupos com as várias línguas de cada visita. Não havia grande fila para os bilhetes, mas aconselhamos que o façam online (Aqui). O bilhete custa 89 zł e toda a visita é guiada e dura cerca de 3 horas.

Optámos pela visita guiada em inglês (O português não consta nas línguas disponíveis) e à hora marcada estávamos a entrar no edifício principal, que serviu de escritório e de gabinete do director da mina. Assim que passamos a porta metálica grande e entramos nos túneis da mina é evidente a diferença de temperatura, pelo que aconselhamos que tragam um bom casaco para esta visita. À nossa frente temos agora centenas de degraus em madeira que descem quase em caracol de forma acentuada até que chegamos ao primeiro nível onde começa a visita.

A primeira parte da visita foca-se naquilo que era a vida dos mineiros, com várias galerias preenchidas com recreações dos mineiros usando as suas ferramentas e máquinas rudimentares para extrair o sal da mina. Toda a visita é muito dinâmica e numa das galerias onde se encontra ainda o sistema original de levantamento de blocos com sal é possível em grupo puxar a roda do sistema e levantar um pequeno bloco.

Minas do sal de Wieliczka

Um dos muitos túneis que percorremos

Há medida que vamos avançado ao longo dos túneis, vão aparecendo cada vez mais galerias de grande dimensões e que nos deixam absolutamente fascinados. É impossível não ficar parado alguns minutos a apreciar as luzes ao longo dos degraus que povoam todo o campo de visão. Destacamos também uma galeria dedicada ao rei Kasimir da Polónia, com uma estátua incrível escavada na rocha, em tons cinzento-esverdeados.

Aproximadamente a meio da visita, passamos a uma das muitas capelas que foram criadas pelos mineiros que viviam debaixo de terra. E é esta pequena capela que nos introduz para aquele que é o ponto alto desta visita. Falamos da Capela de St. Kinga, um espaço que parece tirado de um filme de fantasia ou de um qualquer videojogo. Nesta capela ampla, tudo é feito de sal, desde o altar, as figuras religiosas, as estátuas e até os exuberantes candeeiros de tecto, que parecem ser de cristal. A 101 metros de profundidade, este era o ponto alto do percurso de peregrinação da mina e que atraía gente de todo o país, fazendo deste local o único com um caminho de peregrinos debaixo de terra.

A grandiosidade e espectacularidade desta sala faz com esteja frequentemente apinhada de pessoas, tornando por vezes difícil fotografar toda a riqueza que esta nos oferece. Daqui continuamos a nossa visita, passando por várias galerias impressionantes, das quais destacamos a última galeria de Josef Pilsudski, que contém um lago subterrâneo incrível e um canal que segue dali para outras galerias, sendo praticamente navegável na sua totalidade.

A visita termina numa sala com várias lojas onde se vende sal da mina e outras lembranças, mas o melhor estava guardado mesmo para o fim. Isto porque para sair da mina é necessário voltar à zona central onde se encontra o edifício principal e o elevador. Para fazer esse trajecto de vários quilómetros a solução encontrada foi fazer a viagem num pequeno comboio! Durante 10 minutos circulámos de comboio num dos grande túneis da mina até chegarmos à paragem final.

Esta foi sem dúvida uma das nossas maiores surpresas nesta viagem. Nada do que lemos nos preparou para a beleza do que encontrámos. Foi uma viagem a um património subterrâneo recheado de história e grandiosidade. Não podem mesmo deixar de visitar as minas do sal de Wieliczka e garantimos que não encontram nada semelhante em nenhum local do Mundo.

Sugerimos

1 Comentário

Paulo Pinto Dezembro 25, 2018 - 8:01 am

Visitei as minas de sal de Cracovia dia 16/12/2019
Achei muito comercial com grandes corredores para turistas, várias lojas e até restaurante
Mesmo assim gostei de ver
A minha mulher adorou
Acesso às minas em cadeiras de rodas

O comboio no inverno é de hora a hora
Melhor saber horários. Pode comprar bilhete no revisor
Vários tipos de descontos

Responder

Deixe um comentário