Visitar Roma, a cidade com vontade própria (Parte 3)

por 2serependiters
2 Comentários

Depois de tudo o que já dissemos e mostrámos sobre Roma ficaria a ideia de que pouco mais haveria a dizer. No entanto, essa constatação está longe de ser verdadeira, porque esta é uma cidade que não se limita a oferecer alguns monumentos de mais interesse como cartão de visita. Não… Roma é um fantástico destino a visitar, não só pela cidade que é como um todo, mas também pelas pessoas, pela gastronomia e pela diversidade de actividades que oferece.

Depois de termos conhecido várias zonas de Roma e de termos visitado o Vaticano (Ler a segunda parte aqui) Nesta terceira e última parte do nosso roteiro falamos de locais muito conhecidos de todos, mas também de outros que possivelmente já vimos em filmes ou fotos mas que não associamos imediatamente a Roma. Seguimos também, como já vem sendo hábito, um percurso que permite absorver a essência desta cidade cheia de vida e compreender melhor a sua história e resiliência ao longo dos tempos.

Fontana di Trevi

Bem no centro da cidade velha de Roma encontra-se aquele que é um dos monumentos mais conhecidos desta capital. Construída no século XVIII, esta fonte é na realidade um adorno de um palácio, estando historicamente na confluência de 3 das estradas romanas mais movimentadas e daí o nome Trevie, como derivado de Tre vie, ou seja, três vias.

Visitar e observar a fonte é totalmente gratuito, no entanto, tivemos alguma dificuldade em chegar perto o suficiente para observar a fonte. A quantidade massiva de turistas, guias e vendedores de rua impede qualquer momento mais sereno de contemplação deste local fantástico. Ainda assim, destacamos a fachada que serve de fundo à fonte e o incrível trabalho escultural e artístico desta.

Vista da Fontana de Trevi

Tal como a tradição indica, deixámos algumas moedas no fundo na fonte, mas com a certeza de que não seriam em vão uma vez que todo o dinheiro recolhido da fonte reverte a favor de associações humanitárias da cidade de Roma.

Piazza Navona

No coração da cidade de Roma e rodeada de várias igrejas está uma das praças mais bonitas que já visitámos. A Piazza Navona congrega em si um tremendo peso histórico, tendo sido desenhada e construída ainda durante o período romano e também artístico, com um estilo arquitectónico variado e fruto das várias remodelações históricas que sofreu ao longo dos anos.

O que mais nos impressionou neste local é a vida e dinamismo que se encontram ao longo da praça, com várias banquinhas de rua e alguns espectáculos de música que decorrem simultaneamente. Tudo isto decorre por entre as estátuas magníficas dispersas na praça, fazendo desta uma dos nossas paragens favoritas nas cidade de Roma.

Se tiverem oportunidade, sentem-se um pouco num dos muitos bancos desta praça e deixem-se contagiar pelo ambiente leve e alegre que ali se vive, numa experiência fantástica e que não esquecemos. Aqui sentimos Roma no seu melhor!

Villa Borghese

Depois de visitarmos o Vaticano, tínhamos ainda no roteiro um local verdadeiramente fantástico e próximo da capital católica. A Villa Borghese é na realidade um complexo bastante extenso que engloba uma galeria de arte e uma área enorme de jardins. Localizada na coluna Pinciana, bem no centro de Roma, o acesso é bastante fácil e fizemos todo o percurso até lá a pé. A galeria Borghese foi construída no início do século XVII por odem do Cardeal Scipiano Borghese. Apesar da colecção visitável nesta galeria ser bastante rica, optámos por não visitar a galeria e ir apenas aos jardins.

A entrada em todo o complexo é gratuita e é fácil ficarmos logo apaixonados pelo local. Os jardins da Villa Borghese são dos maiores da Europa e a sua principal vantagem face a outros parques e jardins desta dimensão é o facto de toda esta área ser na realidade uma exposição de arte ao ar livre. Efectivamente, aqui encontrámos vários recantos rodeados de colunas romanas, de fontes e repuxos com trabalhos magníficos e de alguns edifícios com colecções de arte visitáveis gratuitamente.

O que mais gostámos foram sobretudo os lagos e as vistas harmoniosas e relaxantes preenchidas com várias árvores de grande porte, flores e peças de arte. Consideramos este parque como um dos poucos locais para desligar temporariamente da azáfama constante da cidade e relaxar um pouco enquanto se desfruta simultaneamente do que mais belo a cidade pode oferecer.

Bocca della veritá

Não estamos a mentir quando dizemos que este é um dos locais mais “curiosos” que visitámos em Roma! Em português “Boca da Verdade” é uma escultura que fica no pórtico de Santa Maria e que se pensa datar do período romano. Esta é famosa por se dizer que funciona como detector de mentiras e que a boca se fecha sempre que alguém coloca a mão na pedra e diz uma mentira.

Roma - Bocca Verita

Experimentámos, e para além da pedra gasta por milhares de mãos, não sentimos nada de diferente. Constatámos pois que a lenda não era verdadeira, mas fica o entusiasmo por poder participar num ritual centenário e que é já famoso para todos aqueles que visitam esta cidade magnífica.

Piazza di Spagna e Scalinata di Trinitá

No último ponto do nosso roteiro está aquele que é possivelmente um dos locais mais mostrados desta cidade, mas dos menos conhecidos. A Piazza de Spagna fica mesmo no centro da cidade e tem esse nome por historicamente agregar naquele local a embaixada real espanhola e o gabinete de estudos cristãos. Os fãs de cinema já devem ter visto este local várias vezes, visto já ter sido cenário utilizado em vários filmes, inclusive nos filmes de Frederico Felini e também em alguns filmes de acção mais modernos.

Desta praça parte aquela que é uma referência da arquitectura italiana, a scalinata di Trinitá, assim chamada porque culmina no seu topo com a igreja da Trinitá. A sua construção foi ordenada pelo papa Bento XIII e mantém muitas das referências arquitectónicas que encontrámos no Vaticano, com tons claros e de inspiração neoclássica. O que mais gostámos aqui foi o facto de existirem vários patamares na escadaria que oferecem vistas magníficas para a cidade. Destaque também para todo o enquadramento de estilos e cores neste local, numa harmonia perfeita e muito relaxante para quem visita.

Com este artigo encerramos o nosso roteiro pela cidade de Roma. Sem qualquer dúvida que esta é uma cidade que existe para ser visitada, descoberta e absorvida. Sentimos que o ritmo deste local pode ser demasiado acelerado ao início, mas rapidamente nos integramos também nesta rede dinâmica de vida que povoa esta cidade a cada hora do dia. É um destino que aconselhamos a qualquer turista e a onde queremos voltar sem qualquer dúvida!

Sugerimos

2 Comentários

Sara Fevereiro 20, 2019 - 9:39 pm

Olá,
Todo este roteiro que fizeram em Roma foi sempre a pé? Não usaram o metro/comboio para nada?
Desde já obrigada.

Responder
2serependiters Fevereiro 20, 2019 - 10:04 pm

Olá sara! Fizemos mesmo tudo a pé e o percurso apresentado (parte 1 a 3) foi feito em 3 dias completos. Como a cidade é relativamente plana faz-se tudo muito bem. Um ponto chave para fazer todo o roteiro é evitar tempo em filas. Assim, reservámos todos os bilhetes do que visitámos aqui https://www.getyourguide.pt/roma-l33/?partner_id=PJMARAM&utm_force=0.
Vai adorar a cidade! Se precisar de alguma ajuda não hesite em contactar

Responder

Deixe um comentário