Visitar Creta, a pérola mediterrânica – Parte 1

por 2serependiters
0 Comentário

As ilhas gregas são sem qualquer dúvida uma das maiores referências turísticas da Grécia e um dos principais destinos de verão Europeus. Na realidade, a Grécia inclui no seu território quase 6000 ilhas, e destas, 227 habitadas, o que torna a escolha da ilha a visitar uma tarefa difícil. É comum dizer-se que existe uma ilha grega para cada um dos nosso desejos, e como pretendíamos uma experiência mista de praia, natureza e história, evitámos os locais mais famosos como Santorini e Mykonos e escolhemos visitar Creta.

Creta é a maior ilha grega, com uma população que ultrapassa as 600.00 pessoas e uma cultura assente em tradições únicas que não se encontram noutros locais da Grécia. Optámos por viajar com a Aegean Airlines, um membro star alliance, e em 40 minutos (e com uma viagem extremamente confortável!) deixámos para trás a teia luminosa e cheia de vida de Atenas e chegámos ao nosso destino em Creta, a cidade de Chania (Χανιά), 2ª maior cidade de Creta e relativamente próxima das praias mais famosas da ilha, razão pela qual não optámos por Heráklion (Ηράκλειο).

Visitar Creta
Vista do porto veneziano de Chania

Visitar Creta – Como explorar a ilha?

Para nos deslocarmos na ilha, tivemos de alugar um carro, o que foi fácil no aeroporto, mesmo com a hora tardia a que chegámos. Perante a miríade de escolhas possíveis, optámos pela Kydon, uma empresa local, e conseguimos um óptimo preço associado a um atendimento 5 estrelas.

Roteiro pela ilha

No nosso primeiro dia completo na ilha de Creta, o destino foi uma das praias mais belas e desejadas da ilha, mas também uma das mais selvagens e difíceis de aceder: A praia de Balos. O percurso até à praia a partir de Chania demora aproximadamente 1h20min, e presenteia-nos com um visão altamente mediterrânica, de extensos olivais, intercalados com áreas semi-desérticas apenas povoadas por várias colmeias dispersas onde se produz o famoso mel de creta.

A acompanhar-nos nesta viagem fica sempre o mar, com tons de azul paradisíacos que realmente convidam a parar em qualquer sítio para mergulhar. Pouco depois de Kissamos (Κίσσαμος), a estrada até aí larga, transforma-se numa estrada tortuosa em terra batida (que tem uma portagem com o custo de 2€) , e vai ser este o ambiente dos últimos 7km de viagem de carro. No entanto, a monotonia nunca se instala porque todo o caminho é frequentemente povoado por cabras selvagens que gostam de se atravessar na estrada e dificultar a tarefa aos turistas. Por fim, os últimos 2km até à praia são feitos a pé, por entre a falésia semi-desértica. O percurso não é fácil e exige alguma capacidade física, especialmente na subida, que no nosso caso foi marcada por um calor tórrido.

Visitar Creta
Cabras selvagens no caminho para Balos

Optámos por passar o dia da praia, e não fosse a ausência de palmeiras, nunca diríamos que não se tratava de uma praia qualquer na polinésia ou nas caraíbas, com água quente, vendo-se sempre o fundo, onde partilhamos os mergulhos com peixes que andam à nossa volta. Na praia existe apenas 1 café, onde podem adquirir bebidas, águas e sandes, por preços bastante acessíveis.

Só mais tarde descobrimos que é possível ir para a praia de Balos de barco, apanhando-o no porto de Kissamos por apenas 12€. Ainda assim, apesar de todo o esforço associado ao caminho difícil, aconselhamos o caminho tradicional, pela descoberta da paisagem mediterrânica e da cultura da ilha que este nos proporcionou ao visitar Creta.

O nosso roteiro segue com a descoberta da ilha, com a exploração da praia mais famosa de Creta e da cidade de Chania. Se ainda não o fizeram podem também ficar a conhecer um pouco mais de Atenas com os nossos artigos.

Sugerimos

Deixe um comentário