Golfinhos no estuário do Sado, uma experiência ímpar

por 2serependiters
2 Comentários

Portugal é um país com uma ligação profunda ao mar e aos seus rios, desde sempre, parte do passado, do nosso presente e certamente, parte do nosso futuro. Noutros posts já tínhamos reforçado o esforço que tem sido feito no sentido de demonstrar a importância da conservação da natureza e das espécies (ver post sobre o Oceanário de Lisboa) e este é um dos temas que temos como muito importante para a sustentabilidade do nosso país e do ambiente. Assim, tivemos a ideia de ir visitar a famosa população de golfinhos que residem no estuário do Sado.

Os golfinhos, bem conhecidos de todos mais que não seja por uma ida ao jardim zoológico de Lisboa ou ao Zoomarine, são mamíferos cetáceos extremamente inteligentes e, na maioria das situações, bastante amigáveis. A espécie residente no estuário é o Roaz ( Tursiops truncatus), que habita geralmente em águas frias e temperadas um pouco por todo o Mundo.

Desde os anos 80 que se conhece a existência de uma população residente na área que se concentra no estuário do Sado e que se estende desde a serra da arrábida até à zona da comporta. A primeira contagem feita apontava para 40 golfinhos, actualmente são 28, 4 deles crias. Para nos levar a conhecer esta zona magnífica e avistar os golfinhos, escolhemos a empresa Vertigem Azul!

Vertigem Azul

Vertigem Azul

Interior do escritório

Fundada em 1998, esta é sem qualquer dúvida a referência nas viagens de barco para observação de golfinhos no Sado. A escolha da Vertigem Azul foi para nós simples porque já conhecíamos o excelente trabalho que desenvolvem e porque quando fomos consultar mais informação sobre a empresa, ficámos bastante agradados com todos os prémios que têm arrecadado ao longo dos anos: Melhor animação turística no Alentejo em 2014, Melhor Operador turístico de Lisboa e Vale do Tejo em 2011, entre outros.

Os preços praticados são bastante acessíveis, custando a experiência base cerca de 35€ por pessoa. Os bilhetes podem ser reservados online (Aqui) e existe uma saída para o mar de manhã e uma da parte da tarde, tendo a viagem a duração de 3h, que ocasionalmente se podem estender por mais tempo caso esteja difícil encontrar os golfinhos.

Destacamos desde já o espaço bastante agradável no escritório da Vertigem Azul, com uma decoração muito alusiva ao mar e aos golfinhos e uma sala de estar agradável. A simpatia de todos os colaboradores da empresa foi uma constante e permanentemente iam sendo dadas informações ao grupo sobre a partida do barco.

Aconselhamos totalmente, e se quiserem saber mais podem consultar no facebook ou tripadvisor.

A viagem até aos golfinhos

Chegámos a Setúbal por volta das 8:45 e tendo deixado para trás um sol radiante estávamos agora rodeados por um nevoeiro, que não sendo muito cerrado, teimava em não levantar. Rapidamente fomos informados de que iríamos atrasar um pouco a partida para ver se o nevoeiro aligeirava um pouco. Um cafézinho depois (À boa maneira portuguesa!) eram 10:30 quando nos encaminhámos então para o cais.

À nossa espera tínhamos um catamarã que realmente nos impressionou. Grande, moderno e acima de tudo, adaptado para que toda a parte da frente pudesse acomodar também mais pessoas e assim, rapidamente nos encaminhámos para as redes de suporte, ficando apenas com a água azul-esverdeada do mar por baixo de nós.

Começámos então lentamente a sair da doca de Setúbal e num instante ficámos com a serra da arrábida à nossa direita. Destacamos aqui que este passeio permite também contemplar toda  a beleza do parque natural da arrábida, sendo possível ver várias praias, palácios escavados nas encostas e também muita da fauna desta zona, especialmente aves marinhas.

Antes de irmos ao encontro dos golfinhos, o barco fez uma paragem na marina de Tróia, de onde é também possível embarcar, geralmente meia-hora depois da partida em Setúbal. Ficámos muito satisfeitos com o percurso que o comandante do barco tomou para fazer esta aproximação a Tróia, uma vez que procurou passar junto à praia de Tróia e oferecer a todos a possibilidade de observar um cenário natural e humano bastante atractivo que convida a tirar fotos.

Tróia

Vista na chegada a Tróia

Terminada a paragem muito curta em Tróia, começamos então a navegar em direcção ao mar e todos no barco abrem bem os olhos na ânsia de serem os primeiros a encontrar a barbatana acima da linha de água. Perto de nós circulavam também outros barcos de observação de golfinhos e de certa maneira, comunicavam todos indirectamente sobre que direcção seguir.

Esperámos possivelmente uns 45 minutos, tendo já passado junto às praias da comporta, quando se ouviu o primeiro som “suspeito”. Imediatamente redobrámos atenção mas só 20 minutos e algumas milhas náuticas depois avistámos finalmente a população de golfinhos residentes. Os momentos que se seguiram foram verdadeiramente fantásticos! Conseguimos observar pelo menos 6 golfinhos, agrupados 3 a 3, que ora de um lado ora de outro do barco, iam interagindo connosco, tornando até difícil tirar fotos para registar o momento.

Podemos dizer que ninguém ficou indiferente a estes 30 minutos magníficos! Para assegurar que não se cria stress nos golfinhos e que a poluição não se torna excessiva, após meia hora de observação directa, as embarcações têm de regressar ao porto de saída. A viagem de regresso foi feita maioritariamente junto à costa da serra da arrábida com passagem bem próxima da praia de Galapos e da Figueirinha, bem como ao forte do Outão e, já perto de Setúbal, junto à praia da Comenda.

Perto das 14h estávamos já a atracar na doca de Setúbal com a certeza que esta foi uma experiência que tão depressa não iremos esquecer, não só pelo momento de contacto com os golfinhos, mas também por toda a beleza natural que o percurso de barco oferece.

Agradecimentos

Para realizarmos esta experiência tivemos o apoio da Vertigem Azul que desde o início sempre se mostrou interessada em fazer-nos uma oferta e fornecer todos os esclarecimentos sobre a experiência em si. Destacamos todo o profissionalismo e simpatia, desde a reserva até ao momento em que atracámos em Setúbal, e estamos certos de que são claramente uma opção de excelência para quem procura um momento de contacto com os golfinhos do Sado.

Sugerimos

2 Comentários

Cristina Setembro 26, 2019 - 4:58 pm

Lindo Também quero fazer quando tiver oportunidade. Deve ser inesquecível.
https://coisasdefeltros.blogspot.com/

Responder
2serependiters Setembro 26, 2019 - 5:06 pm

Uma experiência que vale mesmo a pena! 🙂

Responder

Deixe um comentário